Categories Negócios

China abre mercado para farelo de soja argentino, diz governo da Argentina

BUENOS AIRES (Reuters) – O governo da Argentina anunciou nesta terça-feira que a China aprovou exportações de farelo de soja argentino ao seu mercado, cuja demanda pela proteína para consumo animal é a maior do mundo.

O anúncio põe fim às negociações entre os dois países sobre o tema, que se estenderam por 20 anos, e estreita o vínculo comercial entre a Argentina e o gigante asiático.

“Este acordo histórico para a Argentina representa uma grande oportunidade de acesso ao maior mercado consumidor mundial de proteína vegetal para alimentação de animais”, disse a presidência da Argentina em um comunicado, no qual informou que o acordo será formalizado na quarta-feira.

A Argentina é a principal exportadora mundial de farelo de soja, enquanto a China é a maior compradora dos grãos de soja não processados do país sul-americano.

No entanto, até o momento a China —que não é um player relevante no comércio global do derivado da oleaginosa— não autorizava o ingresso de embarques do farelo argentino.

O presidente da Câmara da Indústria de Óleos Vegetais da Argentina (Ciara, na sigla em espanhol), Gustavo Idígoras, disse à Reuters que o anúncio é um feito histórico para o setor, ainda que tenha ressaltado que o início do fluxo de exportações para a China não será imediato.

“A partir desse importante passo dado, ficam pendentes mais duas etapas: a habilitação das plantas agroindustriais, que poderá ser anunciada no próximo mês de outubro, e o registro do produto, que vai demorar mais vários meses, e por isso não é possível esperar embarques imediatos no momento”, explicou.

A Ciara engloba gigantes do agronegócio que operam na Argentina, como Cargill, Bunge e Louis Dreyfus.

“É uma excelente e oportuna notícia. A Argentina precisa agregar valor às suas exportações para a China e para o mundo”, disse à Reuters Luis Zubizarreta, presidente da Acsoja, câmara que representa a cadeia produtiva da oleaginosa no país, desde o setor primário até a agroindústria.

Nos primeiros oito meses deste ano, a Argentina exportou 16,3 milhões de toneladas de farelo de soja, com receita de 5,2 bilhões de dólares. No ano passado, a Argentina somou embarques de 24,2 milhões de toneladas do derivado, com receita total de 9,19 bilhões de dólares, sendo Vietnã e Indonésia os principais destinos.