Categories Brasil

Crimes registram queda nos primeiros 4 meses do ano

BRASÍLIA (Reuters) – O Brasil registrou queda em todos os nove crimes registrados nos quatro primeiros meses do ano, na comparação com igual período de 2018, segundo dados do Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais, de Rastreabilidade de Armas e Munições, de Material Genético, de Digitais e de Drogas (Sinesp) divulgados nesta terça-feira.

O número de homicídios caiu 21,2 por cento —de 16.670 para 13.142. Os latrocínios tiveram redução de 23,8 por cento no período —de 689 para 525. As tentativas de homicídio caíram 8,6% e o roubo de veículo teve queda de 27,5%.

Desde março de 2019, segundo nota do Ministério da Justiça e Segurança Pública, o país conta com estatísticas criminais oficiais e confiáveis publicadas no site da pasta com base nos boletins de ocorrência dos Estados e do Distrito Federal, registrados pelo Sinesp.

Na véspera, em entrevista exclusiva à Reuters, o titular da pasta, Sergio Moro, detalhou ações que a pasta trabalha para reforçar o combate à criminalidade: criação de centros integrados de operações de combate a crimes na fronteira do país, os chamados “Fusion Centers”, lançamento do “Em Frente Brasil” e a aprovação, pelo Congresso, do pacote anticrime.

Há dois meses, Moro —o ex-juiz da Lava Jato tratado no início do governo como um dos superministros de Bolsonaro— está sob intensa pressão após a publicação de reportagens do site The Intercept Brasil revelar conversas por aplicativos de mensagens atribuídas a ele e a procuradores da operação em que o então magistrado teria orientado a atuação do Ministério Público Federal no caso.

O ministro foi questionado sobre se está “plenamente confortável” dentro do governo. Sem responder diretamente, Moro preferiu ressaltar que entrou no Executivo, ao abrir mão de uma carreira de 22 anos de magistratura, com um compromisso assumido com Bolsonaro de aperfeiçoar o combate ao crime.

Reportagem de Ricardo Brito

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *