Categories Mundo

EXCLUSIVO-Política imigratória dos EUA envia milhares de crianças, inclusive bebês, de volta ao México

TIJUANA, México (Reuters) – Desde janeiro, o governo dos Estados Unidos ordenou que 16 mil imigrantes de menos de 18 anos, incluindo quase 500 criancinhas, esperem audiências de tribunais de imigração norte-americanos com suas famílias no México, revelou uma análise de dados do governo feita pela Reuters.

Ao longo da fronteira EUA-México, bebês e criancinhas que ainda estão tentando começar a andar estão morando em cidades com alta criminalidade —muitas vezes em abrigos e barracas lotados ou nas ruas— durante as semanas ou meses necessários para uma audiência de asilo nos EUA.

    O risco de violência e doenças é alto, e preocupante sobretudo para famílias com crianças pequenas ou com problemas de saúde crônicos, de acordo com entrevistas com profissionais de saúde, imigrantes, agentes humanitários e ativistas.

    As crianças, cujo número não havia sido divulgado anteriormente, estão entre os milhares de imigrantes que foram devolvidos ao México em conformidade com uma política do governo Trump conhecida como Protocolos de Proteção de Migrantes (MPP, na sigla em inglês). A maioria é da Guatemala, Honduras ou El Salvador.

    Autoridades imigratórias dos EUA não responderam a pedidos de comentário sobre os dados apurados pela Reuters.

    Segundo o Departamento de Segurança Interna, quem decide se uma pessoa é incluída no MPP são agentes de fronteira, que analisam caso a caso e consultam profissionais médicos. Menores desacompanhados não deveriam ser mandados de volta para o México, de acordo com as diretrizes do programa, mas crianças podem ser devolvidas sem os pais.

    Autoridades do governo Trump dizem estar fazendo todo o possível para desestimular famílias de imigrantes a fazerem viagens perigosas aos EUA, muitas vezes nas mãos de traficantes de pessoas que elas dizem colocar crianças em risco sem necessidade.

    Até 3 de outubro, cerca de um terço dos quase 50 mil imigrantes no MPP eram menores de 18 anos, segundo os dados disponíveis mais recentes do Escritório Executivo de Revisão da Imigração (EOIR), que supervisiona os tribunais de imigração norte-americanas.

A Reuters identificou que cerca de 4.300 têm menos de 5 anos de idade e 481 têm menos de um ano.

    Blanca Aguilar, uma mãe guatemalteca de 27 anos, está vivendo em um acampamento improvisado de cerca de 40 barracas amontoadas nos cômodos dos fundos de uma igreja nos arredores de Tijuana, do outro lado da fronteira com San Diego. Durante toda a noite se ouvem crianças tossindo e chorando, disseram ela e outras mães à Reuters durante uma visita recente.